quinta-feira, 11 de março de 2010

Jura: uma mulher forte


Durante a nossa vida conhecemos diversas pessoas que nos fazem crescer com suas experiências e suas histórias de lutas e conquistas. Hoje a homenagem é para uma amiga que nunca deixou a sua doença ser mais forte do que ela. Jura é uma mulher alegre, que está sempre pronta para ajudar e quebrar suas próprias barreiras. Abaixo deixou ela mesma contar sua história:

"Meu nome é Juracéia, a Jura... Era uma menina que tinha sonhos, como todas outras. Mas existia dentro de mim um vazio indescritível que foi somente preenchido aos 13 anos quando uma colega de classe me presenteou com um livro do Novo Testamento. A leitura daquele livro, que tinha na capa o título “O mais importante é o amor”, transformou meus dias, me encheu de alegria, esperança e preencheu aquele imenso vazio. Tudo ia muito bem, quando aos 16 anos meus sonhos de juventude foram frustrados fui acometida de uma enfermidade chamada Miastenia Gravis, uma doença rara e desconhecida. Ela é auto-imune que provoca fraqueza muscular. Passei por várias internações, fiquei por 3 vezes em UTI sendo que uma delas por 1 mês ligada a um aparelho respiratório. Esta doença incurável para a medicina humana é controlada por medicações fortes aos quais preciso tomar diariamente.

Quando sai do hospital e quis reassumir minha vida tive que conviver com minhas limitações e preconceitos também. Ao me matricular em uma escola para terminar o ensino médio, não sabia que só existiam classes no piso superior, o que dificultava meu acesso. Quase precisei desistir de estudar ali se não fosse a ação de colegas que se reuniram com professores e diretoria para falar sobre o assunto, pedindo uma sala no piso térreo para mim, mas a então diretora disse aos alunos o seguinte: “Lugar de doente é em casa ou no hospital, se eu soubesse que ela era doente não tinha deixado ela se matricular”. Mas eu concluir o ensino médio, fui uma ótima aluna que fiz história naquela escola. Pude seguir em frente, fiz curso Técnico em Contabilidade, trabalhei. Hoje curso Bacharel em Teologia, participei de vários projetos missionários onde pude levar além da Palavra de Deus e ajudar socialmente pessoas carentes.

Hoje me encontro em Guaíba, na grande Porto Alegre/RS, onde estou voluntariamente ajudando uma igreja levando a Palavra de Deus, investindo nas vidas. Tenho uma vida mais limitada, necessito de medicações diárias, mas quem me vê não imagina que possuo este problema de saúde. Mesmo assim, sou feliz, minha vida é completa e aquele vazio não faz parte da minha vida, pois hoje “eu sei em Quem tenho crido...”. "



2 comentários:

Ju disse...

Que coisa mais linda essa homenagem. Que Deus continue a abençoar muito sua vida. Vc é benção!
Beijos

Juliana Gonçalves disse...

Ela é realmente demais. E põe inveja não em muitas mulheres..
Não foi só a Arina que aprendeu com você, mas todas nós...
Te amo amiga!