terça-feira, 14 de julho de 2009

Sou jornalista com diploma



Muitos me perguntam o que eu acho sobre o fim da obrigatoriedade do diploma de jornalista para exercer a profissão. Então vim aqui declarar meu sentimento:

Na verdade me sinto uma idiota! Afinal de contas estudei 4 anos um curso que hoje dizem ser desnecessário. Foram 4 anos do meu tempo, dedicação, dor de cabeça, muitas leituras, muitas pesquisas, muitas aulas, enfim, 4 anos de estudo.

Me lembro do meu primeiro dia de aula na faculdade, onde uma professora falou para todos os alunos: "Vocês já são jornalistas, só estão aqui para se aperfeiçoar." Eu concordo com ela, desde o momento que você escolhe ser alguma coisa, você já é! Os passos posteriores são de aperfeiçoamento. Ou seja, você é o que escolhe ser.

No entanto, esses dois momentos são equivalentes. Ninguém é o que não escolhe ser e ninguém pode ser o que não sabe o que é. Só aprendi o que é realmente um jornalista depois que entrei na faculdade, foi lá que descobri as diversas áreas que compõem a comunicação e suas diversas formas de exercê-la. Então acredito que não possa ser possível anular a necessidade do conhecimento acadêmico.

Algum tempo atrás não era preciso diploma para quase nenhuma profissão, mas também não se tinha o conhecimento existente hoje. Atualmente, para se evoluir é necessário conhecimento para diversas áreas. Creio que quando pararem de solicitar o conhecimento acadêmico para o jornalista, acabará a evolução da profissão e do meio jornalístico no Brasil.

Sim, sou contra ao fim da obrigatoriedade do diploma e a favor do conhecimento e aperfeiçoamento.

Foto: Arquivo pessoal.

Leia Mais:

2 comentários:

Octávio Junior disse...

Em relação à meritocracia dentro do mercado de trabalho, uma coisa que ouvi falar uma vez através de um professor, foi a seguinte: "tudo pode passar, mas o único ativo que não se deprecia e fica para sempre é o nosso conhecimento" (essas palavras são bem de Administrador mesmo... hahahaha...). E o conhecimento nós adquirimos através da nossa busca pessoal, seja a área que for. Mas essa busca pelo conhecimento vem da mão dos nossos facilitadores, que são os mestres. Por isso, acredito que a não obrigatoriedade do diploma para o exercício do jornalismo não é uma coisa boa, tendo em vista que desprestigia, ou melhor, como a própria Arina falou, "anula a necessidade do conhecimento acadêmico".

eduardo disse...

tudo isso faz parte do enfraquecimento sindical, modelo do imperialismos Norte Americano, que mesmo sem culpa de nada leva a culpa de tudo, como eu e como muitos jornalistas. Ps: Isso que eu falei é dialético, mas nem eu conheço essa dialética